quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Desejo a todos o seguidores e colaboradores do NOSSOCATALAO Feliz Ano Novo.
Em 2010 teremos centenas de outros encontros onde estarei mostrando muito mais histórias sobre Catalão, sua gente, suas ruas, suas casas, sua memória. Até lá!

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Enquete

Amigo leitor. Hoje iniciamos uma enquete com o propósito de conhecer melhor o perfil dos visitantes do NOSSOCATALAO. Assim, peço a você que responda às questões que estão disponibilizadas na coluna do lado direito da tela, logo abaixo do contador de visitas. Respondendo ao que se pede você estará contribuindo para que o NOSSOCATALAO continue a oferecer muito mais informações à nossa comunidade do município, do estado, do Brasil e, porque não, lá fora. Obrigado.

CRAC x São Paulo Futebol Clube

Como parte das comemorações do centenário de Catalão, uma atração especial brindou os catalanos: uma partida de futebol envolvendo um combinado de Catalão e o time do São Paulo Futebol Clube. O esforço para trazer a equipe paulista foi liderado por Michel Safatle, filho de Farid Miguel Safatle. As fotografias a seguir são o registro da presença do time sãopaulino em nossa cidade. E a partida, qual foi o placar? 5 a zero para o tricolor do Morumbi. E a escalação dos times? Esta informação está sendo pesquisada, todavia, se o amigo leitor souber, deixe um comentário.

Instante em que a delegação do São Paulo Futebol Clube desembarcava no Aeroporto de Catalão. O primeiro a descer, como mostra a fotografia acima foi Vicente Feola, o técnico sãopaulino.

Antes do Jogo

A chegada da equipe sãopaulina em solo catalano. Na fotografia acima, Jamil Safatle de roupa clara, acompanha Mauro Ramos, zagueiro do São Paulo e campeão mundial pela seleção brasileira em 1958 na Suécia. De terno branco é Laerte Margon. À direita é Teodoreto Veloso, comerciante de automóveis de Araguari. À esquerda, ao fundo, a presença de Geraldo Rabelo e Silvio Netto. A delegação paulista hospedou-se no hotel de propriedade de Da. Matilde MArgon (fotografia publicada aqui no NOSSOCATALAO, mostra um hotel com o nome de Hotel Goyano, ao lado da Delegacia de Polícia. Seria este o mesmo hotel onde a equipe sãopaulina teria ficado?) À exceção de Mauro Ramos que hospedou-se em outro hotel, de acordo com informações.
O senhor de terno à direita, de óculos escuros, é o técnico do São Paulo Vicente Feola. Feola foi o técnico campeão do mundo dirigindo a seleção brasileira na Suécia, em 1958. Atrás dele, mais à direita está Manir Nahas, irmão do radialista Farid Nahas. Depois estão Dr. Jamil Sebba, Carlos Alberto Safatle, Michel Safatle e Plínio José Lourenço de Souza que, então, era gerente do Banco do Brasil e, posteriormente, fora transferido para Paranaguá. O garoto agachado aparenta ser Paulo Safatle.

Da esquerda pra direita: Ivo Elias (irmão de Jorge Elias), Totó Sebba, Nazir Safatle e o garoto é Luiz Antônio Guimarães, neto de Portugal Porto Guimarãese que hoje reside em Araguaína, no Tocantins.
O time do São Paulo Futebol Clube. À direita em pé Sr. Michel Safatle e à sua direita o zagueiro Mauro Ramos, campeão mundial pela seleção brasileira em 1958, na Suécia. A escalação completa do time está sendo pesquisada e posteriormente eu a informarei. Contudo, se alguém a souber, deixe um comentário para ser publicado.

O Combinado de Catalão que enfrentou o São Paulo Futebol Clube. A qualidade da fotografia não é das melhores o que dificulta o reconhecimento dos jogadores. Da direita pra esquerda, em pé: o segundojogador é Oliveiros Gomes Pires, o terceiro é Macaúba, o goleiro é Edinho Madrugada, depois Silvio Salomão e Chico Margon. Michel Safatle aparece à direita e agachado à sua frente é seu filho Carlos Alberto. Agachados, da esquerda pra direita: o terceiro é Dimas Gomes Pires e depois João do Natalino. Haley Margon é o segundo em pé. A fisionomia dos demais me parece familiar e se você souber identificar os jogadores do time catalano, deixe um comentário.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Cenas Urbanas

A Av. 20 de Agosto no trecho compreendido entre as ruas Egerineu Teixeira e Wagner Estelita Campos. Do lado direito o imóvel que abrigou por vários anos a LBA - Legião Brasileira de Assistência. Ao fundo o sobrado da Netto e Cia. Concessionarios Chevrolet. No alinhamento direito da rua os imóveis são os mesmos de hoje tendo, porém, sido reformados e adaptados para funcionarem como comércio. O primeiro imóvel após a LBA era a Farmácia São Francisco de propriedade de José de Melo. Do lado esquerdo alguns imóveis, também, são os mesmos até hoje e, da mesma forma, passaram por reformas e adaptações para servirem de comércio, casos, por exemplo da Terrafértil, Chaud Imóveis e outros. À esquerda o primeiro imóvel não existe mais. em seu lugar foi construído um sobrado por Adib Elias, pai do ex-prefeito Adib Elias Jr. que ali tinha, então, um armazém. Posteriormente, seu filho Carlos Cesar Elias, o Dida, instalaria a lanchonete Stalo que foi um dos "points" mais frequentados na década de 1970. Dois detalhes nesta fotografia: o primeiro um impresso colado no poste de madeira à esquerda divulgando, ao que parece, as Lojas Riachuelo e o segundo detalhe é a iluminação. Reparem que a luminária ficava pendurada pela fiação no centro da via pública.

A sede do Banco do Brasil ainda em construção. A placa à esquerda identifica o construtor responsável: Francisco Tozzi. Observem ao fundo e na lateral esquerda espaços vazios o que denuncia a pouca ocupação urbana. Na década de 1970 uma nova sede (a atual) seria construída e a antiga, anos depois de ter sido desocupada, seria ocupada pela Caixa Econômica Federal, isso no início dos anos 1980 uma vez que fotografia aqui publicada de 1979 mostra que neste ano a Caixa ainda funcionava onde hoje está a Gráfica São João.

Cyro e Aida

Cyro de Cerqueira Netto e Aida Bretas Netto. Ele, filho de João de Cerqueira Netto e Maria Donália e ela filha de Dr. Enéas Tolentino de Figueiredo Bretas e Rita Paranhos Bretas. Do matrimônio nasceram Mauro, João Enéas, Luiz Renato, Gustavo, Marcelo, Marcos, Lúcio, Maria Antonieta, Maria Lúcia, Maria Augusta, Maria Therezinha e Maria Angélica.

Mãe e filha

Rita Paranhos Bretas e sua mãe Da. Amélia
A religião é um aspecto marcante na família de Rita Paranhos Bretas a ponto de 3 de seus filhos terem feito a opção pela carreira religiosa. Astréa Bretas optou pela ordem das Irmãs Agostiniana e Aleixo e Deodato Bretas optaram pela ordem dos Irmãos Maristas.

Irmã Astréa Bretas, filha de Rita Bretas quando entrou para o convento das Irmãs Agostinianas. O vestido de noiva é parte do ritual de passagem.
Da. Aida Bretas Netto e seus irmãos religiosos: Irmão Aleixo (marista) e Irmã Astréia (agostiniana)

Irmão Aleixo, Aida, Astréa, Da. Amélia, Rita Bretas, e Irmão Deodato - Os irmãos maristas são filhos de Rita Brêtas
Astréa, Maria Therezinha, Rita Bretas, Maria Lúcia, Da. Amélia, Antonieta (no colo) e Da. Aida.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

As filhas de Cyro e Aida

Maria Augusta, Maria Therezinha, Maria Lúcia, Maria Antonieta e a garotinha Maria Angélica. A faixa preta no canto superior esquerdo é uma simples e muito carinhosa e respeitosa homenagem que presto a Da. Maria Therezinha e família, pelo passamento de sua filha caçula, Maria Ângela, ocorrido em novembro de 2009.

Os filhos de Cyro e Aida (III)


João Enéas, Maria Angélica, Marcelo e Luiz Renato.

Filhos de Cyro e Aida (II)


Os irmãos Maria Angélica e Marcelo, filhos de Cyro e Aida. O automóvel tudo indica ser um Chevrolet Fleetline 1949.

Filhos de Cyro e Aida (I)

Marcelo, sua irmã Maria Lúcia com a filha Maria Rita no colo, em frente à casa da família, na Av. 20 de Agosto. Marcelo e Maria Lúcia são filhos de Cyro Netto e Da. Aida. Maria Lúcia ou, simplesmente, Da. Lúcia, é esposa de Wisner Tartuci e além de Maria Rita, tiveram Lucinha, Wilson, Wisner (Tartucim), Tânia, Hélio e Fábio. Observem ao fundo do lado direito o prédio do Cine Teatro Real. Do lado esquerdo o local onde até hoje funciona a Farmácia Felicidade. No sobrado, na parte superior, funcionava o salão de festas do CRAC. E depois a casa de Dr. Heber Campos e que existe até hoje. A casa que foi de Cyro Netto, também existe até hoje. O carro é um Ford Tudor 1949 Conversível.





A Igreja do Rosário

Na década de 1830, Emerenciana Netto Carneiro Leão, nascida na Freguesia de Santo Antônio da Manga, hoje Paracatu, casou-se com Manoel Pereira de Cerqueira e foram residir em Catalão, onde Emerenciana ganhara boa parte da Sesmaria do Ribeirão. Devotos de Nossa Senhora do Rosário, prometeram que se ali fossem felizes, ergueriam uma igreja em louvor a esta santa. A promessa começou a ser cumprida, primeiro com a fundação da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário. Emerenciana e seu filho João de Cerqueira Netto construíram a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, hoje Velha Matriz, ajudados por parentes e amigos. Já construída, em 1876, precisamente no dia 28 de julho deu-se início à permuta da então Igreja de Nossa Senhora do Rosário pela antiga matriz, que naquela ocasião se chamava Nossa Senhora Madre de Dios.
A permuta foi encabeçada pelo tenente-coronel João de Cerqueira Netto, que exercia na época o cargo de provedor da Irmandade, com a condição única de se fazer anualmente, ali, a novena em louvor a Nossa Senhora do Rosário. Para aprimorar o culto, João Netto enviou agregados seus a Araxá com a finalidade de aprender o cerimonial da congada e trazê-lo para Catalão. Hoje o número de ternos de dançadores é grande e a devoção à Virgem do Rosário se expande dia-a-dia. Nesta fotografia, provavelmente de fins da década de 1940, início de 1950, duas professoras à esquerda com uniforme da Escola Paroquial: são Beralda Gomes, filha de Pio Gomes, e Geralda Couto.

Sobre a ponte

Lúcia Marcelino Meireles, Elias Farid Safatle e Maria Paschoal. O local é a ponte sobre o Ribeirão Pirapitinga na esquina da Rua José Saturnino de Castro (cont. Rua Randolfo Campos) e Av Raulina F. Paschoal.

Lúcia Marcelino Meireles

Lúcia Marcelino Meireles. Esta fotografia foi tirada onde hoje está a Loja da Santo Pane, em frente ao POsto Aguiar. Ao fundo o local onde hoje está instalado o Banco do Brasil.

Os filhos de Lúcia e João Meireles Jr.


Em pé: Ronaldo e Zezim. Sentados: Liliane (aniversariante), Gilberto e Hugo Cesar.

Alunos e alunas do primário

Alunos e alunas do primário. Fotografia que acredito ser do final da década de 1930, início de 1940. A menina com um círculo emtorno do rosto é Da. Lúcia Marcelino Meireles.


quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

O Prefeito Cyro Netto é diplomado

Documento de valor inestimável, o Certificado de Posse de Cyro Netto no cargo de prefeito muncipal de Catalão, eleito que foi no pleito de 3 de outubro de 1950. Atestam o documento o Juíz Eleitoral Wolney Oliveira Bernardes e o escrevente eleitoral Sr. José Sebba, filho do imigrante árabe João Sebba e pai do Dr. João Sebba Neto.

Título Eleitoral

Documento muito interessante: Título Eleitoral de Rita Paranhos Bretas que empresta o nome à escola situada na Rua Araguaia, abaixo da delegacia de polícia,perto do Estádio Genervino da Fonseca. Rita Bretas é mãe de Aida Bretas, esposa de Cyro Netto. No documento encontramos dados interessantes, a filiação, por exemplo: Antônio da Silva Paranhos Jr. Assim pode-se concluir que ela seja neta do Senador Antônio da Silva Paranhos. A data de nascimento: 18 de julho de 1887. Era Funcionária Pública e nasceu em São Sebastião da Serra do Salitre. Serra do Salitre é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Inicialmente, assim como Sede, Coromandel, Abadia dos Dourados, São Sebastião da Serra do Salitre e Cruzeiro da Fortaleza, era um distrito do município de Patrocínio.
Outra informação interessante: o escrivão eleitoral - Misael Nogueira. Misael Nogueira é sogro de Prof. Chaud e de Dr. Lamartine P. Avelar.

A empresa Netto e Cia Ltda. - Concessionários Chevrolet. Aqui, alguns veículos perfilados em frente ao galpão que abrigava as oficinas da empresa. Notem ao fundo, à direita, a caixa d'água. Ela existe até hoje. No final dos anos 1970, Álvaro de Mendonça Netto adquiriu as antigas instalações da Netto e Cia., exceto o galpãpo das oficinas, e reformou todo o imóvel transformando-o em 3 residências. Numa delas moraram, desde então, João Netto de Campos, Da.Isabel e familiares. Da. Isabel faleceu em 1990 e João Netto em 1996.
Abaixo a situação atual do antigo galpão das oficinas da Netto e Cia. Apesar de sofrer algumas reformas para abrigar a sede da Delegacia Fiscal de Catalão, sua estrutura original é a mesma.



Av. 20 de agosto

Av. 20 de Agosto. À direita, no prédio onde há um mastro funcionava o Banco Hipotecário de Minas Gerais e onde hoje está a Farmácia Na. Sra. de Fátima. Em seguida, a casa de Cristiano Aires onde havia até há bem pouco tempo, a pizzaria República da Gula. Na sequência local onde funcionou a Bettu's Pizzaria.

O mesmo local em 2 tempos

Duas fotografias de um mesmo local em épocas diferentes. Acima local onde funcionou a LBA - Legião Brasileira de Assistência. Há um letreiro no alto da lateral do prédio, mas não está legível. De qualquer forma suspeito que, já nessa época, a LBA já funcionava ali. A Legião Brasileira de Assistência (LBA) foi um órgão brasileiro fundado em 1942 pela então primeira-dama Darcy Vargas, com o objetivo de ajudar as famílias dos soldados enviados à Segunda Guerra Mundial. Com o final da guerra, se tornou um órgão de assistência a famílias necessitadas em geral. A LBA era presidida pelas primeiras-damas. Em 1991, sob a gestão de Rosane Collor, foram feitas denúncias de esquemas de desvios de verbas da LBA. A LBA foi extinta durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.
Observem à direita o prédio da prefeitura e onde funcionava os cartórios, o auditório do júri e câmara municipal e o forum. Notem na esquina que o sobrado onde hoje mora Mauro Silvio Netto - o Mauro do Cartório - ainda não havia sido erguido. E abaixo o mesmo local e onde funciona o Centro Integrado de Pediatria, da Prefeitura de Catalão.

Maçonaria

Maçonaria. Aqui vejo a presença inconfundível de Sr. Júlio Paschoal, o 4º da esquerda pra direita em pé. Quem souber identificar os demais, deixe um comentário.
Este senhor sentado, ao centro, parece ser João Meirelles, que fora Venerável da Loja Maçônica Paz e Amor IIIa., Sendo seu filho João Meireles Jr. e avô de Ronaldo Meireles, membro atual desta Loja, seguindo os passos de seu avô e pai. Portanto, uma familia ligada totalmente à Maçonaria. Lucy Marcelino, esposa de João Meirelles Junior é filha, nora, irmã, esposa e mãe de Maçons. Obs.: Esta foto parecer ser da diretoria da Loja, observe a fita com uma Joia pendurada que estão usando, representa o cargo ocupado. Até os dias atuais ainda se usa este colar durante as sessões maçônicas.(Informações de Rubens Rodrigues de Cássia)

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Inaugurando a Chevrolet

Esta fotografia já foi públicada anteriormente, todavia, volto a publicá-la com informações mais precisas sobre os senhores que nela aparecem, a saber: Aníbal, Dr. Jajah, Coronel Frazão. Atrás do Cel Frazão está Dr. Jamil Sebba e ao seu lado Nazir Safatle. Na sequência está Cristiano Aires e atrás de si um dos donos da empresa, Silvio Netto. Depois João Rabelo, Nain Fayad, Marcos Arruda, Olavo Pires, Jorge Afiune, Siloé Pires. Olavo Pires é pai do senador por Rondônia Olavinho Pires e que foi assassinado na década de 1990. A filha de Olavo Pires, Marly Pires, é médica em Brasília e foi a primeira esposa de Mário de Mendonça Netto com quem teve a filha Maysa.

O Casal

Juquinha Paranhos e sua esposa Maricota. Muito interessante esta fotografia, principalmente do ponto de vista "fashion" . Juquinha Paranhos - JOSÉ DA COSTA PARANHOS, farmacêutico, que residia em Ipameri, foi proprietário do prédio do Lord Hotel, em Goiânia, na av. Anhanguera, ao lado do prédio do Banco Itaú, antigo BEG, casado com Maria Helena Estrela Paranhos - Maricota – e não tiveram filhos. Deputado estadual de 1935 a 1937, antes do Estado Novo, suplente do Senador Domingos Netto de Velasco de 1951 a 1957. Irmão de SAULO DE TARSO PARANHOS, farmacêutico em Goiânia, na rua 3, no centro, e de NAZARENO PARANHOS (do Banco do Brasil, ex-Assessor do Presidente do BB Paes de Almeida, ex-Gerente da agência centro de Goiânia, da Agência Centro de Brasília e da agência em Lisboa) nascidos em Catalão, filhos de Antonio Paranhos e Josephina da Costa Paranhos. Juquinha Paranhos é sobrinho do Antonio Salviano da Costa que é o pai do Marciano Salviano da Costa (Marcianinho), do Israel Salviano, do Antônio Salviano – o Tõesin Salviano (pai de Carlinhos, José Carlos, Ruth, Beth, Marly, Antônio José), Mozart e de Alfredo, conhecido como Indim Salviano (pai da Marina da Officinal). A esposa do seu Antonio Salviano é tia do Juquinha Paranhos. (informações enviadas por Minerval Oliveira - Anápolis GO).

Ícones da arquitetura e cultura


Tomada da Prça Getúlio Vargas, no início da década de 1950, de um ângulo em que mostra alguns ícones da nossa arquitetura e cultura: ao fundo o suntuoso edifício do ginásio Presidente Roosevelt, mais tarde Escola Paroquial São Bernardino de Siena; à direita o Edifício Nasr Faiad, uma das mais belas construções da cidade que tem sido preservada e cujo interior possui paredes ricamente decoradas por pinturas originais. À esquerda a sede social do CRAC onde, até a década de 1980, foram realizados grandes eventos sociais e comemorações e em cujo palco desfilaram artistas de renome nacional. Ao lado do CRAC, segundo informações, funcionava o Bar Antárctica de propriedade de José Pedro, irmão de Fued Pedro (pai do prof. Fued - Universitário). Ali foi um dos pontos de encontro mais emblemáticos e folclóricos da história de Catalão. E a própria praça Getúlio Vargas ou, simplesmente, o JARDIM, como é conhecida entre os catalanos. Ao tempo em que era chamada de Jardim Público (até a década de 1920), foi reformada e urbanizada sob a batuta do então prefeito Diógenes Dolival Sampaio que a rebatizou de Praça da República.

Paisagem rural

Salvo engano, este Ipê roxo faz parte da paisagem da propriedade rural que um dia pertenceu ao ex-prefeito Anísio Gomides, pai do dentista Severo Gomides, Da. Joaninha (esposa de Haley Margon), Josefina, Aparecida e Lázara. Atualmente, creio, pertence ao pecuarista Engº José Américo de Souza. A propriedade fica próxima ao parque industrial da Mitsubishi Motors.

Ontem Banco do Brasil, hoje Caixa Econômica


Antiga sede do Banco do Brasil onde hoje está instalada a Caixa Econômica. A mudança para a atual sede ocorreu na década de 1970 e ficou algum tempo sem ser utilizado. Antes da Caixa mudar para este local, ela funcionou onde hoje é a gráfica São João, em frente ao Bradesco.

Ginásio Esportivo. E os esportes?

O Ginásio Internacional de Catalão em fase final de construção no início dos anos 1990. Com capacidade para receber um público de 6000 pessoas, o ginásio possui modernas instalações e alojamentos para dezenas de atletas. Todavia, muito pouco tem sido utilizado mesmo porque a realização de eventos esportivos capaz de lotar suas dependências é coisa rara por estas paragens. Uma outra utilidade para o ginásio seria a realização de shows artísticos, entretanto, a sua arquitetura e material usado na cobertura não oferecem as condições ideais para esse tipo de evento. Um elefante branco, fruto da atividade eleitoreira e que, aos poucos, vai-se deteriorando pela ação do tempo e do vandalismo impune.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Carnaval, ah! o carnaval.


Da esquerda pra direita e de cima pra baixo: Gilberto Meireles, Antônio de Deus, Ronaldo Meireles, Roberto Paschoal, José Meireles, Elias Safatle, Jair Melo, Luís Roberto, Kleber Garcez e Márcio Marcelino. Esta fotografia foi tirada em frente ao Degrau 15. O Degrau foi um bar de propriedade do hoje Vereador Deusmar Barbosa e funcionava onde hoje está instalado o Colégio Aprov, na Rua Pedro Ludovido esquina com a praça da Velha Matriz. Esta fotografia, provavelmente, é do início da década de 1980.

O Jardim, a árvore, a casa, o cinema



No Posto JK

Esta fotografia foi tirada no Posto JK e João Sebba,Maria Célia e amigos, posam ao lado de uma antiga bomba de gasolina, usada nos primórdios do posto, na década de 1960 e que ficou exposta durante muito tempo em área onde hoje está o bar.

No casamento do médico José Egydio

Casamento do Dr. José Egydio. Na fotografia da esquerda pra direita: João Sebba, Angélica, José Egydio e Nelson, todos colegas de turma do curso de Medicina da Universidade Federal do rio de Janeiro. A fotografia foi tirada em frente à casa dos pais de João Sebba. Onde hoje está a Gráfica São João funcionava, nessa época, a Caixa Econômica Federal. Observem no canto superior direito o letreiro "Caixa". A julgar pelo veículo na garagem (um ford corcel II) esta fotografia nos remete ao fim da década de 1970, mais precisamente janeiro de 1979.

Família de Jorge Elias

Naim Elias, Alberico, as irmãs Lilian, Zarife, Olinda, Catarina, Ivone e Evelina Elias com a mãe Da. Said (esposa de Sr. Jorge Elias, conhecido como Jorge Sapateiro). Atrás de Naim Elias, Osmar Jr.


Aqui, além das pessoas da primeira fotografia estão Sr. José Sebba, Osmar Pimenta, João Sebba Neto, Da. Nadima, Marlene (com curativo no rosto), Maria Célia e outros. O interessante nesta fotografia são os laços entre 3 famílias de imigrantes árabes: Sebba, Elias e Safatle.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Festival Sul Goiano da MPB

O Festival Sul Goiano de MPB aconteceu durante comemorações do aniversário da cidade no ano de 1972 e foi realizado no Salão de FEstas do Colégio Estadual João Netto de Campos.

Suely Paschoal em uma interpretação acompanhada de Juarez de Melo e Tuti.

Aqui outra interpretação de Suely Paschoal. Desta vez ela toca violão. À sua direita, Fátima Cortopassi acompanhada de Magda Salomão e outras. Mais à direita me parece ser Alfredo Mori. Observem na parede, bem atrás de Fátima, um cartaz de propaganda dos cigarros Hollywood. E embaixo o cartaz do evento denunciando a data. Aqui, uma vista geral do salão, totalmente lotado, tendo à frente o corpo de jurados composto pelo Jornalista Anatole Ramos, Odete Faiad, Marlitt Netto Faiad, e...?? O garoto embaixo com a mão levantada é Eduardo Tartucci, o Tochinha. O da esquerda me parece ser Fábio Faiad. Entre tantas pessoas, vejo Da. Natália, Da. Filomena, Manoel Januário, Leovil e esposa, José Paschoal e esposa, Maria Célia, Mirna Paschoal, José Rocha e esposa, Maria Affiune, Maurício Abrão, e outros

Vistas de Catalão (Parte II)

Mais 3 fotografias retratando Catalão de fins da década de 1940, início de 1950. As duas primeiras mostram a Netto & Cia - Concessionários Chevrolet. Os dois veículos que aparecem em exposição são uma Camionete 3100 1948 e um Chevrolet Four Door 1948. Na outra fotografia aparece um Ford já mostrado aqui em outra ocasião. Tomei o cuidado de colocar duas fotografias de modelos restaurados e que propiciam uma melhor visualização de detalhes. Depois, uma fotografia atual do mesmo local onde funcionou a Netto & Cia. A outra fotografia mostra uma vista geral da Av. 20 de Agosto e uma outra atual e do mesmo local. Estas imagens permitem ao nosso leitor fazer uma comparação dos elementos urbanos de duas épocas distintas e, certamente, fazer um exercício de imaginação sobre como seria viver em uma época em que tantos recursos e melhorias nem no futuro eram imaginados. Também, pode-se notar que as construções são as mesmas até hoje, tendo sido feitas algumas adaptações para abrigarem lojas comerciais. A não ser a Netto & Cia que não guarda nenhum traço arquitetônico exceto a enorme caixa d'água que existe até hoje.