terça-feira, 13 de abril de 2010

60 anos de distância

O intervalo de tempo transcorrido entre as duas imagens a seguir, gira em torno de 60 anos. Detalhe curioso é que o banco que aparece na primeira fotografia com a inscrição "N & Filhos" é o mesmo que aparece na segunda fotografia. A diferença é que hoje o banco apresenta sinais de vandalismo e está com o assento todo quebrado. A casa de Mizael Nogueira, reparem, apresenta sua forma original perfeitamente preservada. No local onde funcionou o HSBC, já acomodou uma outra agência bancária, o Banco do Comércio, salvo engano. E ali mesmo, funcionou o comitê da candidatura de Leovil e Bento (prefeito e vice respectivamente), na década de 1960. Posteriormente, funcionou o Bar Taco de Ouro. Onde hoje está erguido o prédio da Farmácia Felicidade funcionou o elegante salão de festas do CRAC. Algo que nos chama a atenção, na segunda fotografia, é o estado de abandono emque se encontra a Praça Getúlio Vargas, canteiros por serem podados, capina do mato por ser feita etc. E o tanque com a água parada, não seria um criatório do mosquito da dengue. Em muitas cidades do Brasil empresas unem esforços com o objetivo de preservar os logradouros públicos vizinhos das empresas. É uma questão de consciência. Imaginem se as empresas vizinhas da Praça Getúlio Vargas se unissem para cuidar dela. Poderiam até fazer uma troca, tipo pagar um funcionário em troca do IPTU. Mas quem é que se importa em cuidar de uma praça?

Nenhum comentário:

Postar um comentário