sexta-feira, 28 de maio de 2010

A Charqueada

Nas primeiras décadas do Século XX a produção de charque em Catalão era bastante difundida. O charque é uma carne salgada de origem do nordeste do Brasil que, cujo processo de produção era uma forma de suprir a ausência de tecnologias de refrigeração da carne. Posteriormente, também passou a ser produzida e bastante apreciada no Rio Grande do Sul. É conhecida como carne-seca no sudeste do Brasil. Os primeiro empreendimentos de beneficiamento da carne, chamados Charqueadas, foram iniciados por imigrantes. Uma dessas charqueadas ficava no início da Av. 20 de Agosto, nas imediações do Bairro Margon e Santo Antônio. Ali, além da indústria, havia uma área de lazer composta de piscina, quiosque com churrasqueira e uma pista de bocha. Pelos idos dos anos 1970/80 era comum realizarem churrascos, festas, confraternizações, etc. Para freqüentar a piscina era preciso autorização dos diretores da empresa e acompanhado de algum parente. Eu, particularmente, na minha adolescência freqüentei aquele espaço inúmeras vezes, passávamos o dia todo por ali, na piscina. E participei de várias festas que a “Tchurma” promovia. Dia desses andei pela redondeza de onde ficava essa área de lazer e descobri os escombros do que sobrou, conforme fotografia a seguir. Da indústria nada sobrou, a não ser o prédio onde ficava o escritório que existe até hoje. A Charqueada, salvo engano, foi a mesma iniciada no início do século XX pelo pioneiro da família Margon, João Margon, originário da Eslovênia. Nos últimos tempos, ela pertencia a Leovil da Fonseca e sócios.

5 comentários:

  1. Como era bom ir para a Charqueada com o vô Leovil...

    ResponderExcluir
  2. Muita saudade do passado que não volta mais. Saudade

    ResponderExcluir
  3. Muita saudade do passado que não volta mais. Saudade

    ResponderExcluir
  4. Muita saudade do passado que não volta mais. Saudade

    ResponderExcluir