segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Gente da nossa terra (11)


Antônio Miguel Jorge Chaud nasceu em Catalão em 22 de maio de 1923 filho de Miguel Antônio Chaud e D. Cauqueb Chaud. Estudou o curso primário no Externato Santana, dirigido por Rosentina de Sant’anna, a Da. Yayá. O ginásio foi concluído no Colégio Oriental, em São Paulo. Estudou inglês na Sociedade Brasileira de Cultura Inglesa e espanhol na Câmara de Comércio Brasileiro-Chilena e no Instituto Cultural Brasileiro-Argentino, ambos em São Paulo. Concluiu o curso de contador na Escola de Comércio Álvares Penteado e fez o curso de Sociologia e Política na Universidade de São Paulo.
Terminado os estudo regressou a Catalão e em dezembro de 1947 casou-se com Maria Sampaio Nogueira e deste casamento nasceram 8 filhos: Heloísa, Eliane, Carmem, Denise, Aline, Antônio Guilherme, Ricardo Luís e Luciene.
Educador nato, sua dedicação à instrução é inquetionável. Sua carreira como professor teve início ainda em São Paulo, primeiro no Curso de Madureza (supletivo) Patriarca e depois no Colégio Anglo Latino.
De 1945 até sua aposentadoria foi professor do Col. Mãe de Deus;
Em 1948 fundou o Ginásio Presidente Roosevelt (posteriormente Escola Paroquial);
Entre 1961 e 1981 foi professor do Estadual João Netto de Campos sendo ali diretor de 1962 a 1964;
De 1952 a 1966 foi professor do Colégio Comércial Wagner Estelita Campos;
Em 1979 foi professor no Centro de Formação de Professoras Primárias (onde hoje está o Campus Catalão da UFG);
Foi prefeito indicado pelo interventor do Estado Gal. Xavier de Barros, em 1946 e, na década de 1950, assumiu, novamente, o cargo de prefeito, porém, desta feita, pelo voto direto. Nesta oportunidade (1956) recebeu das mãos do Presidente da República Juscelino Kubistchek premiação que reconhecera Catalão como um dos 5 municípios de maior crescimento do país. Foi, também, Secretário da Indústria e Comércio durante o mandato do Marechal ribas Júnior.
Foi o idealizador de grandes empreendimentos empresariais com destaque para uma Refinaria de Açúcar (onde hoje funciona uma loja de material de construção, na esquina da Av. João XXIII, em frente à Rádio Cultura); dirigiu a Rádio cultura de Catalão, a Rádio Independência de Goiânia e Independência de Brasília. Presidiu o CRAC, fundou a Associação Comercial de Catalão. Ocupava a cadeira de nº 5 da Academia Catalana de Letras cujo patrono é Galeno Paranhos. Deixou dois livros escritos: Imigrantes em Catalão e Memorial do Catalão.
Professor Chaud faleceu no dia 10 de março de 2006




Um comentário: