terça-feira, 19 de outubro de 2010

Gente da Nossa Terra (12)


Nasr Nagib Faiad Chaul nasceu em Catalão, GO, no dia 30 de maio de 1957. Filho de Rômulo Chaul e Esmeralda Fayad Chaul (irmã de Odete Faiad). É formado em Direito pela Faculdade Anhangüera de Ciências Humanas. Licenciado e pós-graduado em História pela Universidade Federal de Goiás e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo. É coordenador geral de pós-graduação e pesquisa da UFG. Pertence ao Instituto Histórico e Geográfico de Goiás e ao Instituto de Pesquisas e Estudos Históricos do Brasil Central. Presidente da Fundação Cultural Pedro Ludovico, no governo Marconi Perillo. Escreve artigos para o jornal O Popular e é articulista do jornal desde 1996. Fez letras para vários músicos goianos em cerca de 300 composições. Publicou inúmeros textos e artigos em revistas, suplementos e cadernos de pesquisa. Publicou como co-autor o livro Arquivos Cartoriais, organizado pela prof.ª Dalísia Doles, publicado pela UFG em 1984 e como coordenador em conjunto com o prof.º Paulo Ribeiro, o livro Goiás: identidade, paisagem e tradição, UCG, 2001. Coordenou o livro Goiás: 1722-2002, que veio a ser o livro oficial do Governo do Estado. Recebeu a medalha Peregrino Júnior, 2000, troféu AFLAG e Otavino Arantes, ambos em 2002; medalha Veiga Valle, UBE, Rio de Janeiro (2000 e 2003).


Obra – A construção de Goiânia e a transferência da capital. Editora Cegraf, 1989; História política de Catalão, ensaio, em parceria com Luiz Palacin e Juarez Barbosa, 1994; Caminhos de Goiás – da construção da decadência aos limites da modernidade, ensaio. Goiânia: Editora da UFG, 1997, 2ª edição em 2001; Caramujos contemporâneos da modernidade, crônicas. Goiânia, 1998; Coronelismo em Goiás: estudos de casos de família (coordenador). Goiânia: Editora Kelps, 1998.

Durante a gestão de Nasr Chaul a frente da AGEPEL, não foram poucas as iniciativas que deram um novo alento às mais diversas manifestações culturais de Goiás. Festivais de cinema, de música, o teatro, o folclore festivo-religioso, o turismo cultural mereceram especial atenção e, em vários setores, levaram Goiás a ser incluído no circuito de eventos de âmbito nacional. Em um outro enfoque, o resgate da memória histórica de Goiás, via jornalismo literário, político, econômico e geográfico, também mereceu especial atenção da Agepel sob a batuta de Nasr Chaul. Fruto desse esforço foi a reedição, no formato digital, de importantes veículos da imprensa estadual tais como o jornal “Matutina Meyapotense”, o primeiro jornal editado no estado de Goiás; a revista “OESTE” especializada em matérias literárias; tem, também a revista “A Informação Goyana”; e um completo acervo de documentos pertencentes ao arquivo pessoal de Pedro Ludovico e Venerando de Freitas. Vale lembrar que, no caso do jornal e das revistas, todas as edições compõem o CD referente a cada um dos periódicos.

Felizmente, fui agraciado por Nasr Chaul, com um exemplar de cada dos trabalhos mencionados acima e, a partir desta semana, farei publicar aquilo que de mais interessante puder selecionar entre milhares de arquivos e que façam referência a Catalão. De fato, cada volume é de uma riqueza imensurável, sendo, portanto, um documental de toda uma época, imprescindível a todo pesquisador seja de história, da política, dos costumes, da economia, da lingüística, da língua portuguesa, da geografia, etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário