segunda-feira, 4 de abril de 2011

Rua estreita

Uma panorâmica rua Cel. Afonso Paranhos, entre as ruas Egerineu Teixeira (Caixa) e Frederico Campos, a conhecida rua estreita. Em uma das casas vistas do lado esquerdo morava o poeta Júlio Pinto de Melo que revendia urnas funerárias.

Um comentário:

  1. ..a arquitetura dessa rua respirava bem melhor assim, sem o tumulto e a poluição visual/sonora atuais; nos anos 70 ela ja era pavimentada com bloquetes, aonde a maioria era de acabamento liso, pontilhados com alguns com a marca 'PH' (do prefeito Paulo Humel); e era comum a gente saltar de um com o 'PH' para outro tbém com o 'PH' mais distante, (com uma perna só); era simples e era bem legal isso!.

    Curto muito êsse blog!

    ResponderExcluir