sexta-feira, 15 de julho de 2011

Equívoco

Esta fotografia, já publicada anteriormente, mostra a Praça Getúlio Vargas, que à época chamava-se, tão somente "Jardim Público", na década de 1930. 2 detalhes chamam a atenção: desde que foi restaurada, pelo então prefeito Diógenes Dolival Sampaio, a praça contava com um chafariz (á esquerda) e, desde que o coreto foi erguido, até os dias atuais, ele tem a forma Octogonal.


A foto acima, também da década de 1930, mostra com mais detalhes o Chafariz.

A fotografia acima registra a inauguração do Monumento ao Pracinha, 1 ano após o término da IIGuerra Mundial, ou seja, em meados de 1946. O coreto e o chafariz possuem as formas originais e mais um detalhe presente a partir de então: a grande árvore que existe até os dias atuais.


Uma outra tomada mostrando o coreto e a grande árvore em uma fotografia da década de 1950. O prédio do Ginásio Pres. Roosevelt (posteriormente Escola Paroquial), denunciam a época. O monumento ao Pracinha, também, pode ser visto norumo do prédio do Bar e Restaurante Irapuan, que nessa época, salvo engano, era o Bar Antárctica, de propriedade de José Pedro. A sede social do CRAC pode ser vista atrás da palmeira.


Agora, observem a fotografia acima. Ela foi publicada em um desses períódicos que circulam em Catalão. No texto diz se tratar da Praça Getúlio Vargas na década de 1950. O coreto aqui mostrado é hexagonal, o chafariz não existe e a grande árvore, também não aparece. Da mesma forma, o monumento ao pracinha não é mostrado. De forma que, afirmo que esta fotografia não é da Praça Getúlio Vargas, muito menos em Catalão.

 Vejam esta fotografia do iníco do século passado com o coreto em sua primeira forma. Já naquela época ele tinha a forma octogonal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário