quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Indignação, onde está você?

Pela primeira vez, em dois anos de NOSSOCATALAO, uso este espaço para expressar um ponto de vista muito particular sobre o momento porque passa o país; um Brasil governado por bandidos e criminosos, um Brasil habitado por pessoas que perderam a capacidade de se indignarem. Eis o que penso.

Em 1964 com a bravata de colocar ordem no país, os militares, via golpe de estado, tomaram o poder, fecharam o congresso e cercearam, aos brasileiros, direitos e liberdades. Por não concordarem com a nova ordem pessoas foram presas, torturadas, algumas até hoje permanecem desaparecidas; teatros e faculdades foram invadidos, artistas, músicos, atores, cineastas, teatrólogos, cientistas foram para as ruas gritar contra a ditadura militar e muitos deles foram presos, outros foram deportados, a produção artística foi censurada, mas o brasileiro estava nas ruas exigindo o retorno do estado de direito. Desde que se instalaram no poder os militares nunca se viram livres de movimentos, por menor que fossem, exigindo o retorno do país à democracia e um dos principais foi a Campanha Pelas Diretas Já. Aos poucos os militares foram percebendo que já era hora de voltar para o quartel e deixar o país ser governado pela vontade popular. Foram 30 anos de muita luta. Muito mais que pessoas, a indignação estava nas ruas.


Já estamos no 6º governo desde que a eleição para presidente retornou ao cenário político do Brasil; já se vão 20 anos e alguns meses desde o primeiro presidente eleito pelo povo. Nos últimos 8 anos e 8 meses de governo petista, nunca se roubou tanto nesse país; hoje o Brasil é responsável por 46% de todo o volume de dinheiro fruto da corrupção, no mundo todo; os escândalos envolvendo a alta esfera do executivo federal, desde o mensalão, se sucedem numa velocidade espantosa; obras superfaturadas em todo canto, impunidade para os bandidos do governo, e as obras para a copa do mundo e olimpíada mal começaram. O que vocês acham que irá acontecer? Um hospital público, especializado em ortopedia e traumatologia, está sendo construído no Rio de Janeiro e, claro, já está sob suspeita de superfaturamento. O valor até aqui? R$23milhões. Se fosse construído em condições normais sairia por uns R$15milhões. A cerimônia de sorteio dos grupos das eliminatórias da Copa de 2014, realizada no Rio de Janeiro, consumiu, em um só dia e em poucas horas, a bagatela de R$30milhões do dinheiro público, ou seja, daria pra construir 2 hospitais, ou, poderia pagar o aumento pleiteado pelos bombeiros ou para os professores que estão em greve. Aliás, diga-se, o soltura dos bombeiros cariocas não teve outra origem se não a movimentação da opinião pública.

O estádio do Maracanã, para receber os jogos pan-americanos, em 2007, foi reformado ao preço de R$620milhões. Para a copa do mundo estão sendo gastos mais R$1bilhão, dinheiro que daria para reconstruir duas vezes a cidade de Terezópolis, devastada pelas enchentes. Hoje, a cidade ainda é um monte de escombros. O Palmeiras está reconstruindo seu estádio sem dinheiro público. Valor da obra: R$300milhões; da mesma forma, o Grêmio de Futebol Portoalegrense está reconstruindo o estádio Olímpico. Valor da obra, sem dinheiro público: R$400milhões. O estádio do Corínthians, o Itaquerão, que será bancado, também, por dinheiro público está orçado em R$820milhões, ou seja, daria pra construir 2 estádios iguais ao do Palmeiras e ainda sobrava pra dar aumento para os professores. Com o detalhe de que o Itaquerão é um estádio particular construído com dinheiro público. Agora, imaginem os outros estádios. Depois ainda tem as obras para os jogos olímpicos. Imaginem o rio de dinheiro que ainda se vai gastar. E assim as coisas caminham, rouba-se daqui, rouba-se dali, o governo trata de se esquivar de todas as maneiras possíveis e impossíveis das acusações e fica tudo por isso mesmo.

Em 1964, como dito anteriormente, a justificativa dos militares pra derrubar um governo legitimamente eleito foi a de colocar ordem na casa. Na verdade, os militares foram motivados pela fobia em relação ao perigo vermelho (comunistas), fobia esta arquitetada pelos EUA. De qualquer forma, o povo foi para as ruas, lutou, brigou, apanhou, morreu, desapareceu, etc. Hoje a casa está em uma muito maior desordem do que em 1964 e as ruas estão vazias.

Desde que o estado de direito foi reconquistado, o primordial em situações críticas e que pedem a participação da população, infelizmente, falta ao brasileiro, ou melhor, o brasileiro a perdeu pelo caminho. Se hoje vivemos em uma democracia é porque nos indignamos com a barbárie cometida pelos militares; se reconquistamos as liberdades democráticas é porque nos indignamos com a censura, com a arbitrariedade. Hoje, com toda essa esculhambação que se instalou em Brasília acredito que boa parte do governo deveria ter, como disse Reinaldo Azevedo, gabinete na Penitenciária da Papuda, mas não é isso que assistimos e sabem porque? Porque, hoje, o brasileiro perdeu a capacidade de se indignar. E isso é cruel, muito cruel com esta e com as próximas gerações.

O Brasil, só voltará a ser Brasil quando o último petralha e seus capachos deixarem o banco dos réus com destino á cadeia. E que seja breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário