quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Phelippe

Residência de Philippe Damech, na esquina da Av. 20 de Agsoto com Egerineu Teixeira (Caixa Econômica). Ali morou Nilson Ribeiro, filho de Antônio Ribeiro. Detalhe fica por conta das fatídicas "tartarugas" fixadas no asfalto numa época em que já não se usava mais esse tipo de apetrecho como forma de ordenamento do trânsito. O imigrante árabe, o comerciante Phelippe, segundo informações, é o mais velho dos imigrantes árabes, com vida, que vieram para Catalão.

Desfile e carambola

Desfile do Colégio Anchieta na Av. 20 de Agosto. Ao fundo, a casa de Mário de Cerqueira Netto e o pé de Carambola que existia na frente da casa. O curioso é que a fruta dessa árvore era muita azeda. Havia outro pé, no quintal, esse sim, produzia frutas doces. Mais ao fundo o prédio onde funcionou a Panificadora São José. Pela posição das sombras, percebe-se que o desfile ocorria nas primeiras horas após o nascer do sol.

Detran

Prédio da Fundação Cultural, ex-prefeitura e onde funcionou, por algum tempo, o Detran. No detalhe o busto do ex-presidente da república, Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, o primeiro dos 5 militares que assumiram a presidencia do Brasil durante a ditadura  implantada com o golpe militar de 1964. O porque da homenagem a Castelo Branco é algo que desconheço, mesmo porque não há nada que justifique tal reverência.

Odete Guimarães

Odete Guimarães, esposa de Palissy Guimarães, filho de Portugal Porto Guimarães. Ela é irmã de Remy, Sebastião (o barbeiro Bicuca), Salgado (o sanfoneiro) e Araquem (Double Lingerie). Seu filho, Luiz Antônio e a filha Elizabeth moram em Araguaína.  Era cabeleireira e confeccionava perucas.

Estação Ferroviária

A Estação Ferroviária ainda com o prefixo de sua identificação SR 2BH. Ali na praça da estação funcionava uma espécie de ponto de carroceiros que ganhavam a vida fazendo o transporte de pequenas cargas, mudanças, material de construção, etc. E tinha um tanque, bem ali no centro, onde os cavalos bebiam água.

Lá se vão 80 anos...

Imagem muito interessante da Av. 20 de Agosto aqual, muito provavelmente, ainda não tinha esse nome e a praça ainda não era Getúlio Vargas. Conforme nos informa Marcial Campos Teixeira, a praça Getúlio Vargas fora construída por Augusto Netto Carneiro, irmão do Nhozico (Mário de Cerqueira Netto) e fora batizada de Praça 'Eugênio Caiado Jardim'; dai que deve ter saido a expressão 'ir para o jardim' e não ir para a praça ou para a pracinha. Indícios desta fotografia denunciam que a época é por volta do final da década de 1920, início de 1930. Este telhado em primeiro plano e o casario compõem um cenário do período sugerido. O Edifício Nasr Faiad, concluído em 1935, não parece que existia uma vez que a posição da câmera deveria estar na sacada caso o prédio ali estivesse erguido.Um desfile da força policial está em curso. A quantidade de vegetação e a ausência daquele banco comprido, na praça, chamam a atenção.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Arquitetura residencial - Locais de memória



Casa de Adauto Aires na Rua Randolfo Campos

 Casa de Jamil Farid Safatle na esquina das ruas Dr. William e Dr. Pedro Ludovico. No local foi construída a Farma Tartuci

 Casa de Frederico Campos na rua que leva o nome do irmão - Randolfo -. Fica em frente a casa de Adauto Aires

 Casarão da família Goulart, na Rua Ten Cel Afonso Paranhos, a rua estreita

 Casa de Dulce Meireles, esposa de João Meireles. Fica na esquina da Rua Juca Cândido esquina com Bernardo Guimarães.

Neste casarão que fica na esquina da Av. 20 de Agsoto com Ricardo Paranhos, morou Mário Nicoletti, um dos irmãos proprietários da lendária Panificadora São José.. Hoje pertence ao casal Consolines Jr e Heloísa.

Futuros craques

Da esquerda pra direita, em pé: Marcos Abrão, giovane Cortopassi, Astério Safatle, Cezarino, Cássio da Paixão, Fábio Safatle, Deti. Agachados: Fernando da Paixão, Zé Carlos, Laercinho (irmão do zé Belga), Edmar Medeiros e Celismar (Celinho dentista) e Lucinei Rodrigues.

Casa União

Casa União de Salomão Fayad. O endereço: Rua da Alegria. Salvo engano, a Casa União ficava onde hoje está a Terrafértil, na Av. 20 de Agosto. Ali, também, era a residência de Salomão Fayad que é irmaõ de Nasr Faiad. A diferença entre Fayad e Faiad, segundo levantei, é apenas a grafia. Ouvi dizer, também, que o autor da arte acima foi o próprio Salomão Fayad.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Luto

Faleceu na tarde do último sábado, 22 de outubro de 2011, Roberto Leite, o Betim que, durante anos, trabalhou com os irmãos Nicoletti, como padeiro, na Panificadora São José. Na fotografia acima, clicada no interior da panificadora, Betim é o terceiro da esquerda pra direita. Pai de Sandra, Roberci, Roberto Jr., Reuber, Rosan e Rondineli, Betim encotrava-se acamado há alguns anos, debilitado por enfermidade degenerativa. À sua esposa, Dona Darcy e aos filhos, o NOSSOCATALAO presta a sua homenagem.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Mães

 Dona Maria Sampaio Nogueira, esposa de Mizael Nogueira, e as filhas Nelita, Mariinha e Jaziva

Dona Cauqueb Chaud, mãe do prof. Antônio Chaud

1970

Helion Davi Primo, Valéria Chaud (filha de Zuca Chaud, irmão do Prof. Chaud), Dudu Chaud, Tonim Chaud, ? e Eduardo Salomão. Década de 1970. O local é o ranchão da festa do Rosário. Entre Tonim e Eduardo é o norte americano Johnny, que à época veio trabalhar no canteiro de obras da Mineração Catalão

Caricatura

Caricatura de José Maurício Paschoal Salles, em que ele "retrata" o casamento de Antônio Guilherme Nogueira Chaud e Liliane Paranhos no ano de 1984. Atrás dos noivos, Prof. Chaud e senhora.

Casamento de Aline

Prof. Chaud, Da. Mariinha e os filhos Antônio, Denise, Luciene, Ricardo, Heloísa, Eliane e Carmen em pose durante recepção do casamento da filha Aline com Francisco, que teve lugar no Salão de FEstas do CRAC.

Diploma

Formatura do ginasial do Colégio Anchieta. O formando é Antônio Guilherme Nogueira Chaud.compondo a mesa estão: João Netto de Campos, Hélio Leite Martins (presidente da Fundação Wagner Estelita Campos), Adilson Aires (diretor do Anchieta) Professora Maria da Glória Rosa Sampaio e Frei DAvi. O local é o salão de festas do Anchieta.

Formatura

Formatura do primário da Escola Paroquial São Bernardino de Siena, na década de 1960. Fotografia clicada nas escadarias da Nova Matriz. Junto aos formandos, o franciscano norte americano, Frei Davi.

Futebol na vida da cidade

Em pé: casquinha, miziara, vicente, jeovah, paulo abrão, joaquim, carlinho goulart, fued pedro. Sentados: Onício, José Fernandes, Waldir, Ronaldo Rios, ? e Bautíra Borges.

Ésoli, ? Silvio e Enio Paschoal, ? Antônio Rodovalho faziam parte da diretoria do CRAC, campeão goiano em 1967.

O goleiro é Marion Abrão e o terceiro na sequência é Julio Antônio Paschoal. Os demais estou pesquisando, mas,se você conhece alguns deles, deixe um comentário.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Forum

Da Esquerda pra direita: Érico Meireles, Dr. Tharsis Campos, ?, Dr. Cesar (Juíz de Direito) D. Délis, Lourival Á´vares de Campos, Thales Campos, Edmilson Duarte. De costas, Antônio Rodovalho. Na porta, Fábio de Melo (oficial de Jsutiça) e Antônio Granado (o tonim Português) O local é a sala das audiências do Forum de Catalão, que servia, também, como Câmara de Vereadores e que funcionava na antiga sede da prefeitura, onde hoje funciona a Fundação Cultural. 

Autoridades

Em primeiro plano,Nilo Margon. O senhor calvo é o governador do estado, José Feliciano Ferreira; Deputado Federal Wagner Estelita Campos; prefeito de Catalão Ozark Leite; Antônio Aires

De Paula e Moreira

Dona Guiomar com o esposo Bento Rodrigues de Paula e a filha Cristina; Dona Lourdes e o esposo João Moreira. Atrás, João Rodrigues da Paula, conhecido por Thóia.

No alto do morro

Fotografia clicada no alto do Morro de São João, em meados da década de 1950. Observem o prédio do Cine Real e, mais acima, o casarão do ex-prefeito Diógenes Dolival Sampaio. Atrás da mata é possível ver a Santa Casa que, por esta época, ainda se encontrava em construção, inaugurada que foi mais para o finalda década.
As pessoas em pose, salvo engano, são os irmãos de Dr, Jamil Sebba, Elias (direita) e José (centro). O da esquerda não tenho a identificação. Também é possível ver a torre da Velha Matriz.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

No Estadual

Um flagrante no interior do colégio Estadual João Netto de Campos. Umad das meninas me chama a atenção, é a aluna Maria José, negra, irmã de Baltazar, um amigo de infância. A mãe de Maria José era a cozinheira do antigo Hotel Oeste, hoje Center Hotel, na Rua Da. William Faiad, e ali eles moravam. Nessa época, salvo engano, o Hotel Oeste pertencia ao Sr. Francisco, proprietário do Bar e Restaurante Irapuan. Maria José com sua mãe e irmão mudaram-se de Catalão há muito tempo e, desde então, nunca mais os ví. De blusa listrada é Elza (in memoriam). À esquerda Heloísa Chaud. (fonte - O Catalão)

Todos menos um

Nesta solenidade, que acredito ter acontecido em fins da década de 1960, início de 1970, estãopresentes: João Netto de Campos, Nilo Margon, Dr. Silvio Paschoal, Batuíra Borges (com chapéu na mão), Dr. Lamartine (atrás de Baturíra), Prof. João Martins (de óculos escuros), Sebastião Pinto e sua filha Rosângela. Atrás da menina é Roberto Paschoal. Atrás de professor João Martins está Ana Maria Avelar, filha de Dr. Lamartine. Um detalhe interessante é que as personalidades presentes pertenciam, todas, aos quadros do partido governista, a ARENA. A exceção fica por conta de João Netto de Campos, que era da oposição, do MDB. (fonte - O Catalão)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

135ª Festa de Nossa Senhora do Rosário


Desviando um pouco da rota que tracei para o NOSSOCATALAO, rumo ao passado mais distante, publicarei, a seguir, uma coleção de fotografias mais recentes, da Festa de Nossa Senhora do Rosário que, muito amadoristicamente, foram clicadas com minha modesta Olympus de 8mp. Embora encerrada há pouco, a 135ª já é um evento que compõe o currículo histórico da cidade e da própria comemoração. Aliás, antes mesmo de acontecer, quando ainda estava no período de preparação, a história já estava sendo escrita. Pessoas passaram a se dedicar nos preparativos, na organização; os grupos folclóricos, para garantir o brilhantismo de sua participação, esmeram no trato com os adornos, uniformes, coreografia. A cidade aguarda ansiosa pela chegada das “barraquinhas” onde irão despejar milhões de reais em troca de mercadorias, nem sempre de boa qualidade, mas que cumprem o papel de contribuir com a economia de cada um.
Como disse, sou pré-candidato a fotógrafo amador. Todavia, como em qualquer atividade, profissional ou não, tentei individualizar cada fotografia, procurando transplantar para a lente da máquina, a minha visão, a forma como percebo o movimento das pessoas, tentando captar o sentimento e a forma como as pessoas o expressam num ambiente em que elas são as estrelas. Foi assim que assisti um pouco da 135ª Festa de Nossa Senhora do Rosário.